Vereador realiza visita técnica no rio Tamanduateí

Ericka Perestrelo | Câmara Municipal de São Paulo

O vereador Natalini foi conferir de perto o problema de assoreamento no leito do rio Tamanduateí

MARIANE MANSUIDO
DA TV CÂMARA

Um dos rios mais importantes do estado de São Paulo, o Tamanduateí, está totalmente poluído e a falta de limpeza é o maior agravante. O rio percorre 12 quilômetros da capital até desaguar no Tietê. Mas antes disso, passa por três cidades do ABC paulista.

Por todos os lados a situação é a mesma: água suja, lixo, esgoto e falta de limpeza. Essa situação foi verificada, na manhã desta quinta-feira (5/10), em visita técnica em alguns trechos do rio, promovida pelo mandato do vereador Gilberto Natalini (PV).

“Quando chove, o rio não tem calha, porque está ocupada com sujeira. O que acontece é que a água sobe, e as bocas de córregos, que entram no rio, são obstruídas pelo volume de água, que fica acima do que devia. Isso faz com que os córregos não tenham vazão no período de chuva, causando as enchentes”, constatou Natalini.

Nem sempre o Tamanduateí foi assim. Até o século XIX era o mais importante rio da cidade de São Paulo. Mas com as ocupações às margens, o rio perdeu suas características ao longo do tempo.

O engenheiro José Aurélio Brentari, que acompanhou a visita, avalia que a solução mais rápida e econômica para resolver o problema é a limpeza do rio. Ele calcula que o investimento seria em torno de R$ 30 milhões. Mas o governo optou por investir na criação de piscinões ao longo do Tamanduateí, cada um com custo de, pelo menos, R$ 50 milhões.

“Eu acho que a cidade merece ter uma lista de prioridades, começando pelas mais simples, mais baratas, e que são as soluções adequadas, como é o caso da manutenção, da limpeza. O assoreamento do rio forma uma espécie de barragem que impede a fluidez da água e gera enchente em Mauá e São Bernardo. O governo quer fazer piscinão, que demora muito, não tem dinheiro, enquanto fazer a manutenção é muito mais barato.”

No ponto próximo ao Parque Dom Pedro e ao Mercado Municipal, locais movimentados e turísticos da cidade, a situação do rio é a mesma e causa alagamentos em períodos de chuva. Com a visita técnica, o vereador Gilberto Natalini quer abrir um diálogo com o governo municipal e estadual para discutir a limpeza do Tamanduateí.

“Esse é um trabalho possível do ponto de vista financeiro. É mais barato do que fazer piscinões que, além de mais caros, não resolvem o problema. A nossa proposta é que esse rio possa ser limpo para que a água flua nos períodos de chuva”, concluiu o parlamentar.

Veja também