Texto provisório de relatório com proposta de Substitutivo ao Projeto de Lei 272/2015, do Executivo

Publicação – Comissão de Política Urbana Metropolitana e Meio Ambiente:

TEXTO PROVISÓRIO DE RELATÓRIO COM PROPOSTA DE SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI N. 272/2015, ENVIADO PELO EXECUTIVO.

Relator: Vereador Paulo Frange

Nota explicativa: A presente publicação visa a dar divulgação ao texto elaborado até então pelo Relator Vereador Paulo Frange, com base no debate promovido sobre o texto originalmente enviado pelo Executivo nas audiências públicas realizadas entre 22/06/2015 e 08/10/2015. Referido texto será objeto de novo debate nas audiências devolutivas a serem realizadas por esta Comissão a partir de 23/11/2015 e poderá ser readequado a novos estudos e sugestões antes de ser submetido à deliberação na Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente.

Minuta proposta

Texto PROVISÓRIO DE RELATÓRIO DE SUBSTITUTIVO

Quadros propostos:

1
2
2A
2B
3
3A
3B
3C
4

4A
4B
4 Final pg 1 e 3
4 Final pg. 4 – 6
4 Final pg. 7 – 9
4 Final pg. 10 – 11
5

Mapas propostos

Mapa 1
Mapa 2 – ZEPEC
Mapa 3 – Quota

Mapa 4 – Garagem

 

44 Comments

Leticia Lindenberg Lemos

Precisamos dos mapas georreferenciados (kmz, kml ou shapefile) para que seja possível a avaliação do substitutivo apresentado pela Câmara.

Marco Aurélio Martinho

Não vejo necessidade destes mapas neste formato. Eles já foram apresentados no início do processo e nesta fase há possibilidade de se apurar as modificações realizadas.

Marcio Cesar Lopes da Silva

Informo que sou favorável a estas modificações na cidade de SP, mas não concordo que este projeto passe pelas quadras entre a Rua Vicente de Carvalho e Rua Silveira da Mota no Cambuci, pois la não tem pontos de alagamento, somente nas ruas mais próximas do Rio Tamanduateí, ou seja, Rua Nicolau Ancola Lopes ou Rua dos Pescadores, que sempre sofrem com esses problemas.

Lilian Goldner

Senhores Vereadores,

Ontem dia 18/11 foi a apresentação da devolutiva do projeto de lei de zoneamento, amanhã será feriado em São Paulo, e na próxima segunda-feira dia 23/11 já serão discutidas as alterações.

Os senhores acham que teremos tempo hábil para analisar as alterações? Eu ainda nemo consegui localizar o mapa da minha região…

Por favor, peço que adiem estas discussões, não podemos deixar que o futuro da cidade de São Paulo pelos próximos 10 a 15 anos seja discutido na correria. Não vamos permitir que as alterações errôneas perpetradas pela prefeitura de São Paulo sigam adiante, só temos vocês vereadores para nos auxiliar neste momento!

Precisamos de mais tempo. Por misericórdia, atendam os pedidos dos cidadãos desta cidade e nos permitam ter mais tempo para discutir o futuro da nossa cidade!!!

Kelley Brian White

Como morador do bairro Jardim Paulista eu estou contra qualquer modificação na lei existente em relação as mudanças sugeridas para a rua Estados Unidos, Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, Avenida Brasil e Avenida 9 de Julho. Muito obrigado.

Yvonne Sodré Neves

Não consigo entender por que a Av. Alcides Sangirardi um importante ponto de apoio para um comercio local no meu bairro foi rebaixado de ZCL-i para ZERCOR1, ou seja não vai mais ser permitido comercio nesta avenida nos obrigado a atravessar a ponte para todas as nossa necessidades básicas diárias.

Paulo Sergio Natali

Prezados Srs. Vereadores
Agradeço a compreensão em manter a R.Alvarenga no Butantã como ZCORR 3 por se tratar uma Rua de intenso trafego ( N1 segundo o próprio CET , iqual a 23 de Maio, por exemplo ) , e ligar a Marginal Pinheiros a 2 importantes Rodovias ( Raposo Tavares e Regis Bitencourt ) ., confirmando assim a alegação acima do trafego intenso .
Tambem está fora da Zona de Rodizio , com trafego 24 horas por dia .

Jose Augusto Arantes Savasini

A rua Avare mais parte da rua Armando Penteado, na Consolação, foi comprada pela compania do metro para servir de base para uma garagem e uma estação.
A nossa pergunda é porque as residencias que ficam na Rua Avare a metros desta futura estação tem que ficar como residencial. ?
Por favor responda-nos, pois não entendemos porque não foi mudado o Zoneamento da rua Avare.

Paulo Mayr Cerqueira

Prezados senhores:

Volto a insistir:

Rua Jacarezinho Não Pode Ser ZER

Não sou jurista, mas o que está acontecendo na Rua Jacarezinho, Jardim Paulistano, Zona Oeste de São Paulo, talvez seja até Inconstitucional.

O Shopping Iguatemi comprou três ou quatro casas na Rua Jacarezinho, lado Impar e demoliu. Favor notar bem – os terrenos estão na Jacarezinho, Zona Estritamente Residencial. Na Escritura, Registro de Imóveis, o endereço dos terrenos é Rua Jacarezinho.

O Shopping vai construir lojas, bares, restaurantes, etc… Lado bonito disso, virado para o Shopping. A Rua Jacarezinho vai ficar com Barulho, Poluição, Gordura.
Reiterando, os terrenos ficam na Jacarezinho, ZER – Zona Estritamente Residencial.

Primeiro Quarteirão da Jacarezinho, Prédios Gigantescos dos dois lados.
Quadras seguintes da Jacarezinho, Zona Azul – Prefeitura instala e explora Comércio em Zona Estritamente Residencial. Há, e continuará havendo, Zona Azul e Flanelinhas.

Os quatro últimos lotes da Jacarezinho, lado ímpar, se juntaram com um lote da Rua Ibiapianópolis. Pois bem, nesse local, há anos, funciona Imenso Estacionamento, com entrada pela Rua Ibiapinópolis. Mas observe-se que os quatro terrenos do final Jacarezinho são usados para Estacionamento, atividade Comercial, em Zona Estritamente Residencial.

Consulado Geral da Alemanha situa-se na esquina da Jacarezinho com Faria Lima.

Antes onde havia uma ou duas casas, hoje há condomínios com amontoado de casas, umas coladas às outras,

Paralela à Jacarezinho, Gabriel Monteiro Da Silva, Zona Corredor.
Jacarezinho – Estritamente Residencial – fica espremida entre Faria Lima, Marginal, Clube Hebraica, Clube Pinheiros, Shopping Iguatemi e Gabriel Monteiro da Silva, Zona Corredor.

Rota de Avião.

Não sou urbanista, mas também sob o aspecto urbanístico é absurdo.

A Jacarezinho precisa voltar a ser classificada como ZPR – Zona Preferencialmente Residencial – como estava definido/previsto nas Primeiras Minutas do Projeto de Lei da REVISÃO PARTICIPATIVA DA LEI DE PARCELAMENTO, USO E OCUPAÇÃO DO SOLO, ou Zona Corredor (ZCOR1 ou ZCOR2), exatamente a mesma classificação que for estabelecida para o Trecho da Gabriel Monteiro da Silva entre a Avenida Faria Lima e a Marginal.

Nesse caso, não se trata do que quer a maioria dos moradores, tampouco os paulistanos de maneira geral, mas sim considerar o que está acontecendo, de fato, e dar a classificação correta sob Ponto de Vista Técnico.

Outra Alternativa seria fechar definitivamente o estacionamento instalado nos três últimos lotes da Jacarezinho, o que levaria o Caos à Região. E, principalmente, proibir que o Shopping Iguatemi edifique um único metro quadrado nesses terrenos da Jacarezinho. Observe-se, como já foi dito, que os terrenos estão localizados na Rua Jacarezinho. As Escrituras originais dos Terrenos adquiridos pelo Shopping, bem como dos quatro últimos terrenos da Jacarezinho, usados como estacionamento, trazem o endereço da Rua Jacarezinho.

O que já está acontecendo em relação ao Estacionamento e que vai acontecer se o Shopping Edificar um único metro quadrado nos Terrenos da Jacarezinho Zona Residencial é absurdo sob todos os aspectos, e, certamente, irregular.

Concluindo.

Se a Rua Jacarezinho passar a ter a mesma classificação que for dada ao trecho da Gabriel Monteiro da Silva entre Faria Lima e Marginal (ZCOR2), o Estacionamento pode continuar Funcionando e o Shopping pode dar uso comercial aos Terrenos que comprou na Rua Jacarezinho.

Caso a Jacarezinho seja classificada com Zona Exclusivamente Residencial, o Estacionamento deve ser interditado imediatamente, assim que as novas normas do Zoneamento passarem a vigorar. Como também deve ser proibida a edificação de um único metro quadrado nos Terrenos que o Shopping Center Iguatemi comprou na Rua Jacarezinho; ainda que o Shopping não vá explorar comercialmente essa nova área construída

Outra alternativa seria o Shopping transformar os terrenos que comprou em Praças. E em cada um desses lotes (terrenos) houvesse um portão para a Jacarezinho, através dos quais os cidadãos da cidade, sobretudo os moradores dos Jardim Paulistano, pudessem ter acesso às Praças. Esses portões deverão permanecer abertos até o horário em que permanecem abertos os outros parques/praças da cidade. E mais, o Shopping não poderá erguer muros para a Jacarezinho com altura superior aos muros das outras casas da Rua Jacarezinho.

Seria um ato de generosidade do senhor Jereissati e do Shopping Iguatemi para a Cidade.

Em relação aos três últimos lotes do lado impar da Jacarezinho, praças também poderiam ser implantadas, ou simplesmente o terreno permanecer sem uso algum.
O que não pode é esse local, também situado em Área Exclusivamente Residencial, continuar sendo usado como Estacionamento, atividade comercial.

Suponho ser muito mais simples mudar o zoneamento da Rua Jacarezinho de Zona Estritamente Residencial Para ZCOR2. Afinal de contas, não faz qualquer sentido que a Rua Jacarezinho, cercada de comércio, clubes, grandes avenidas, continue sendo classificada como Zona Estritamente Residencial.

Tenho certeza de que o Senhor, Presidente da Comissão do Zoneamento, sua Equipe Técnica e demais vereadores terão sensibilidade para perceber que uma das duas soluções precisa ser dada; uma vez que a situação vigente não pode se concretizar/eternizar em hipótese alguma.

Agradeço boa vontade que os vereadores sempre tiveram comigo esperando que todos os vereadores se deem conta de que meu pleito é mais do que justo.

Atenciosamente,

Paulo Mayr Cerqueira
R. Jacarezinho, 326
RG. 4.794.655
Fone 11-3826-1477
Email – paulomayr@uol.com.br

AMOVA - ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DA VILA AMÉLIA

OS MORADORES DA VILA AMÉLIA NÃO RECONHECEM A ÁREA DE NOSSO AMADO E CENTENÁRIO BAIRRO COMO ZEP – NÃO CONDIZ COM A REALIDADE FÍSICA E DOCUMENTAL , ORA JÁ APRESENTADA EM AUDIÊNCIAS PÚBLICAS E A DIVERSOS VEREADORES QUE BEM SABEMOS HÁ MUITOS QUE AINDA PREZAM PELA JUSTIÇA E PELA VERDADE. — ZMA PARA A VILA AMÉLIA.

edson cosac bortolai

os mapas nao admitem zoom, de modo que fica impossivel sua consulta via internet

CLÁUDIA MARIA ALVES

QUERO EXPOR QUE ME ESCREVI COM 5 PROPOSTA SÓ COM O NOME E NÃO EXPLIQUE COMO FUNCIONA E NEM COMO SE PRATICA E UTILIZA E O QUE SERA PRECISO PARA POR EM PRATICA SE ACASO FOR APROVADA GOSTARIA QUE ME FALASSE AONDE POSSO ESTAR CONVERSANDO COM UM REPRESENTANTE PARA PODER EXPLICAR COMO FUNCIONA AS MINHAS PROPOSTAS E O QUE SERA PRECISO PARA POR EM PRATICA E TAMBÉM GOSTARIA DE SABER SE EU PODERIA ESTAR SENDO UMA FUNCIONARIA GANHANDO COM DIREITOS TRABALHISTA E AONDE PODERIA ME INFORMAR E FAZER FICHA DE FUNCIONARIA OU TERIA QUE PRESTA CONCURSO SE ACASO UMA DAS MINHAS PROPOSTA FOR APROVADA ATENCIOSAMENTE ; CLÁUDIA MARIA ALVES

Nadia Affonso Ortiz

Vamos continuar atentos ,porque Quem sabe faz a Hora e nao espera acontecer !

Sandra Leal

Solicito que a lei de zoneamemto não seja alterada p o Planalto Paulista. Manter o bairro como Zona estritamente residencial.

Walter Jose Pugliesi Jr.

Bom dia, favor tomar ciência que o lote n. 19 no Jardim Caxingui, de frente para a zona corredor Av. Prof. Francisco Morato seja incluído POR INTEIRO de acordo com a Matricula 184.627 registrado no 18 Oficial de Registro de Imóveis – Livro 2 – Registro Geral e Contribuinte do n. 101.270.0019-3 do IPTU. Solicitamos mudança do Zoneamento ZCOR-2 para ZCOR-3 que permite melhor aproveitamento do imóvel. Grato, Walter e Vera Pugliesi (veraluciapugliesi@hotmail.com.br ou 3023-0179 ou 99637-4777).

Pedro Mendes

Vamos preservar as ZER (ZONAS EXCLUSIVAMENTE RESIDENCIAIS) da cidade !!!
Somente 4% da cidade são ZER. Por que vamos encher estes 4% de atividades comerciais???
Ja não bastam os outros 96% de cidade onde atividades comerciais ja são permitidas????

maria

Nós moradores do Planalto Paulista, NAO QUEREMOS ESTAS MUDANÇAS DE ZONEAMENTO pois o nosso bairro é uma das poucas áreas de preservação da fauna e da flora da nossa cidade, nesta selva desumana de pedra, de barulho e de calor na qual S.Paulo esta se transformando.

Edner Benvenuti

para qualquer cidadão que conhece a R. Alvarenga no Butantan sabe que no ,minimo e um corredor Zcor3 e fica difícil só proteger interesses dos ricos donos de imoveis dos bolsões (casas, mansões) que não querem carros parados nas suas portas

Maria Aparecida

o problema não são carros estacionados na porta, mas sim a invasão de comércio irregular dentro de uma zona residencial. A City Butantan tem mais de 60 anos e seus moradores construíram suas casas em razão da tranquilidade e qualidade de vida de um bairro planejado. A ZCorr3, que não estava no projeto original, vai degradar o bairro, Por exemplo, permitindo a instalação de casas para eventos, bares, boates etc

ROBERTO DE OLIVAL COSTA

dada a diversificação de atividades permitidas nas zonas ZCOR , acredito que deva ser alterado o artigo 58 para o fim de serem excluídas as restrições convencionais de loteamentos, aos imóveis situados nas ZCOR , o que permitiria o melhor aproveitamento dos mesmos com inegável benefício para a região onde se encontram esses imóveis

Maria Aparecida

essas restrições só podem ser alteradas se houver concordância de 75% dos moradores do entorno. Essa informação foi fornecida por técnicos da própria prefeitura. Essas restrições são anteriores à qualquer lei de zoneamento

Sandra leal

Sou moradora do Planalto e digo Não as alterações de zoneamento, principalmente nas avenidas, Indianopolis, José Maria Witaker e Bandeirantes.

Sandra leal

Confirmo meu Não as alterações da lei de zoneamento no Planalto Paulista

maria do carmo baccari montanarini

Sou favor da equiparação da alameda Gabriel Monteiro da Silva trecho Faria Lima/marginal. Isto é ZCOR2 para o trecho.

Sylvia S. Leite

Considero extremamente importante a manutenção da área verde em imóvel residencial que sofreu transformação para comercial para a manutenção da qualidade de vida do entorno. Pois imóveis residenciais que acabam por ter a árvore da calçada removida para a construção de guias rebaixadas podem perfeitamente alocar nova árvore de calçada na lateral , direita ou esquerda. A grande briga entre as ZERs e ZMs têm justo sido a questão ambiental. e sabemos que somente estabelecendo tal regramento isto será efetivado, evitando discussões e criando um pouco de paz entre as vizinhanças. Muito obrigada, Sylvia S. Leite

Luci Sciascia Cruz

Volto a solicitar a regularização das Casas de Repouso na City Lapa. Os idosos merecem permanecer no bairro onde sempre viveram e basta de pagar multas excessivas para não dar dinheiro a fiscais da subprefeitura. Está situação já ultrapassou o limite, chegou a hora de respeitar o direito do idoso!!!

Cesar A. de Souza

Gostaria que as sugestões e os abaixo-assinados realizados pelos moradores da Chácara Santo Antonio, que foram entregues à comissão e protocolados fossem considerados, o que não foram nessa nova versão.
O adensamento construtivo proposto na NOVA LEI DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO causará danos irreparáveis à CHÁCARA SANTO ANTONIO, que está localizada na várzea do Rio Pinheiros, possui áreas alagáveis, lençóis freáticos, infraestrutura frágil, ruas estreitas e não tem capacidade para suportar os impactos propostos no PL 272/2015. Peço que seja mantida ZM-1 (Zona Mista de Baixa densidade) ou que a região seja classificada ZPR – Zona Predominantemente Residencial).

Nelson Achcar

Bravo!
A proposta atende aos reclamos da imensa maioria dos moradores da nossa região: a permanência do Jardim Prudência e Vila Nova Caledônia como ZER1

ROBERTO DE OLIVAL COSTA

Apesar de o substitutivo seccionar a av. Morumbi em ZCOR3, ZCOR2 e ZCOR 1 proponho que toda ela, dados os termos do item III do artigo 10 seja classificada como ZCOR3. A par disso e se tal não for possível, o que só por hipótese se admite, como não está claro no mapa do substitutivo onde se iniciam e onde findam os trechos das ZCOR 1, ZCOR2 e ZCOR3. Assim solicito que a ZCOR2 tenha seu início na Rua Padre Lebret e seu final na Rua São Bráulio

Flavio Alberto Muniz

Moro a 80 metros da Av Morumbi e acho um absurdo quererem a classificar como ZCOR-3 !!! Este corredor permite todas as atividades de grande porte no meio de uma ZER !!! Como uma avenida pode passar do corredor mais restritivo na atual legislação (ZCL-zII) para o corredor mais permissivo na nova proposta de zoneamento (Zcor-3) ??? Como podem ser liberadas as atividades de baladas, casas de shows, grandes redes de fast food, bares, centros universitários … no meio de uma Zona Exclusivamente Residencial??? Porque não usar os 96% de áreas da cidade que não são ZER para implantar estas atividades??? Devemos preservar o pouco de verde que resta na nossa cidade. Por favor andem na Avenida Morumbi e vejam que ela é uma das poucas avenidas de são paulo que ainda preservam o verde. Com estas atividades, todo este verde sera devastado !!! Não podemos permitir isso!!!! Certamente este proposta atende aos interesses dos proprietários dos imoveis da avenida e NÃO DOS MORADORES !!!

Takvor Jorge Arapian

Prezados Vereadores –
Data venia, o artigo 136, deve ser reformulado, pois considerar o proprietário, possuidor, etc. do imovel como “infrator solidário” é transferir a responsabilidade do poder público que detem o poder de policia, para quem nao tem qualquer poder de decisao, que é o proprietário. A solidariedade somente caberia se demonstrada a má-fé do proprietário. Ex. Imagine-se o locatário sendo multado constantemente e sem que o proprietário tenha conhecimento.

Assim, sugere-se que o referido artigo tenha o seguinte texto:

Art. 136. Para os efeitos desta lei, considera-se infrator solidario, uma vez demonstrada a sua má-fé, o proprietário, o possuidor ou seu sucessor a qualquer título, e a pessoa física ou jurídica responsável pelo uso irregular ou não conforme, de acordo com as definições desta lei e o tipo de infração cometida.

Cesar A. de Souza

Infelizmente, o adensamento e a verticalização foram uma solução imposta por esse plano, que não necessariamente está de acordo com o que os moradores dos diversos bairros e regiões entendem por uma cidade humana. A partir daí, foram impostas varias regiões ZEU que serão totalmente transformadas, à revelia de quem não quiser.
O argumento de que os moradores vão receber bons valores por suas casas é uma falácia ilusória. Vai depreciar o valor, e, quem for obrigado a vender vai conseguir comprar um imóvel bem inferior. Quem resistir, vai ter seu imóvel praticamente sem valor.

CARLOS AUGUSTO NASCIMENTO

O projeto de Lei de Uso e Ocupação do Solo da Cidade de São Paulo vem se estendendo desde Novembro de 2013 quando o CMPU e a CTLU lançaram o Concurso Nacional de Ensaios Urbanos em busca de desenhos para o Zoneamento de São Paulo, pautados no Plano Diretor recém aprovado naquela oportunidade. Já o processo participativo da revisão da lei de zoneamento iniciou-se oficialmente em agosto de 2014 com seminário de abertura das discussões da revisão da Lei nº 13.885/04 e disponibilização de materiais explicativos, que possibilitaram à população ter conhecimento do tema que seria discutido. Em seguida foi lançado o Ateliè de Ensaios Urbanos colocando em prática as ideias estabelecidas no Plano Diretor com foco de aplicação na lei de zoneamento. O acompanhamento desses eventos foram abertos para acompanhamento de toda a população, contudo a participação coube a 17 instituições de ensino de arquitetura e urbanismo tecnicamente adequada para o tema. Entre 18 de outubro a 6 de dezembro de 2014 foram realizadas oficinas nas 32 subprefeituras com 1113 contribuições da população demonstrando a amplitude da participação popular sobre a Lei de Zoneamento. Aforam a participação pessoal bem produtiva da qual estive presente, ainda foi aberto à população contribuição através da internet que conteve 4.344 propostas. Somente após a análise de todos os questionamentos surgiu a primeira minuta do projeto com abertura à população para manifestações. Foram realizadas mais três audiências públicas no começo deste ano com possibilidade de manifestação, apoio e críticas pela população gerando mais alguns ajustes para enfim a versão final do executivo fosse apresentada e encaminhada à Câmara Municipal. Portanto não estamos diante de um debate apressado, houve tempo suficiente para todos os questionamentos pertinentes ao projeto e cabia ao Executivo finalizar aquele processo acatando as sugestões que tecnicamente eram adequadas ,legítimas e lícitas. Recebido o Projeto a Câmara Municipal a Comissão criada para sua análise deu início aos trabalhos e inúmeras novas audiência públicas ocorreram com manifestação livre da população que teve espaço para demonstrar o que entendiam inadequado na minuta construída no executivo. Portanto, não tem o menor cabimento argumentos como ESTÁ SENDO MUITO RÁPIDO. Está evidente que esses argumentos são trazidos por quem não tem o menor interesse que a lei de zoneamento seja votada, emperrando mudanças imprescindíveis para o desenvolvimento de nossa Cidade. Espero que os Vereadores tenham consciência de que a Cidade necessita que o PL seja colocado à votação o quanto mais rápido possível e ainda este ano, haja vista que ainda que necessite de alguns ajustes como se viu na audiência pública recém realizada, esses são questões pontuais que não justificam que a votação seja postergada o que certamente demonstraria uma fraqueza da Comissão para não falar de falta de competência para ajustar do projeto recebido, o que não é crível diante da competências dos membros desta comissão. Espero portanto que os nobres Vereadores não se quedem a pressões que certamente sofrerão em prol de interesses mesquinhos e sem fundamentos. Acredito que finalizaremos o projeto dentro deste mês para que a lei esteja votada antes do recesso desta Casa Política, salientando que particularmente ainda aguardo uma pequena alteração devidamente fundamentada na última audiência ratificando meus pleitos anteriores, cuja análise deverá ser feita pela Comissão sem qualquer interferência, a fim de que a Lei represente ao final a melhor solução para nossa Cidade. Agradeço por todo espaço concedido em todo o período transcorrido para elaboração dessa importante e esperada Nova Lei de Zoneamento . Atenciosamente Carlos Augusto Nascimento.

José

Nós moradores do Parque continental, Jaguaré, zona Oeste; não queremos mudança alguma em nosso espaço comunitário, ou seja em nosso quadrilátero.
O espaço e ruas não suporta o trafego de caminhões e veículos pesados; as ruas são muito estreitas e de baixa qualidade de calçamento o que poem em risco a estrutura dos imóveis.

SYLVIO SEGRE

Estivemos na AUDIÊNCIA PÚBLICA DA VILA MARIANA e apresentamos a sugestão de alteração de Zona de Uso da RUA IRAUNA entre AV. SANTO AMARO e RUA INHAMBU de ZER1 para ZPR com atividades compatíveis às zonas estritamente residenciais.
MOTIVOS:
1. Está a menos de 100m do Corredor da Av. Sto. Amaro.
2. É um MINI-CORREDOR de acesso da Av. Bandeirantes para Moema e para o Shopping Ibirapuera.
3. Fluxo de veículos ( motos, carros, VUC´S e caminhões ) incompatível com ZER1.
4. Casas desocupadas sem perspectiva de ocupação por usos de ZER1.
5. Casas desocupadas criam insegurança para as outras casas adjacentes da ZER1.
6. Alterando a Rua Iraúna entre a Av. Sto. Amaro e a Rua Inhambú de ZER1 para ZPR melhoraria a situação de todo o entôrno com atividades compatíveis com a ZER1 dando ocupação a casas desocupadas e segurança ao seu redor.
Atenciosamente Sylvio Segre.

Cesar A. de Souza

Sr. Carlos Augusto, rápido não está sendo. Apenas está se impondo uma lógica que a maioria das pessoas, não ligadas a empreiteiras ou construtoras, não necessariamente concorda. Apenas isso. Imposição. Nós da Chácara Santo Antonio Manifestamos nossa indignação contra as mudanças propostas que põe em risco toda a estrutura do bairro, encaminhamos nossas solicitações, protocolamos abaixo assinado, nos apresentamos nas reuniões, e, fomos em largo ignorados. Então, não venha nos dizer que são interesses mesquinhos, são os interesses dos moradores que serão expulsos de suas casas pela especulação imobiliária desenfreada. E, sem chance de defesa.

Regina Tao

Gostaria de pedir emenda/alteracao da atual proposta do PL 272/2015, pois apesar dos pedidos formalizados com abaixos-assinado dos moradores, da reuniao onde foram discutidos os pedidos de mudanca com os vereadores, o nosso pleito nao foi atendido. Olhando a area do bairro de Campo Belo, 80% do bairro eh ZM, o comercio local sempre esteve presente neste bairro de vocacao mista, pois as pessoas nao precisam se deslocarem para outros bairros para suprir as suas necessidades. Entao a area de 20 % do bairro, onde esta como ZER ,esta ficando abandonada, vejo muitas casas para vender ou alugar, com perigo de invasao e depredacao por “sem tetos”. Por isso, os moradores da Rua Joao Alvares Soares, situada entre 2 quadras somente, desde a R. Demostenes ate a R. Otavio Tarquinio de Souza, pleiteamos para que seja alterada para ZM, com a adesao de 100% dos moradores, inclusive ja funciona muitas empresas sem placas: editora, produtoras de video, transportadora, distribuidora de agua mineral, escolinha de musica, etc

Simone Sordi

Numa cidade carente de áreas verdes como São Paulo, agravada por uma crise hídrica, em que as áreas permeáveis e árvores deveriam ser tratadas como jóias, esta lei reduz a destinação de áreas verdes em projetos de parcelamento do solo de 15% para 10%!!!! Além disso abre a possiblidade de construir equipamentos sociais em parques municipais (art. 7, parágrafo 7). Por favor, retirem isso da lei se tiverem um pouco de preocupação com a preservação de áreas verdes e sua biodiversidade!

Gisele Rozemboim

Nosso pleito da Alameda Gabriel Monteiro da Silva , ZCOR 2 foi atendido !!
Quero aqui agradecer a todos da SMDU e Sr. Presidente da Comissão de Política Urbana, Vereador Gilson Barreto, Sr. Relator Paulo Frange e toda a Comissão !
Pude em todas as audiências públicas / zona oeste, me manifestar e colocar nosso pleito.
Quando solicitado reunião com os Srs. Vereadores , fomos sempre recebidos e escutados !
O processo é participativo, só quem não quis não participou !!!
Parabéns á todos !!!!!!!
Gisele Rozemboim

Comentários estão fechados

Veja também