Saiba como fazer uma visita monitorada à Câmara

Visita de alunos do Espro à Câmara Municipal de São Paulo

DA REDAÇÃO 

O Programa Permanente de Visitação da Edilidade Paulistana realizado pela Câmara Municipal de São Paulo recebeu no ano passado 1.849 pessoas. Realizado de segunda-feira a sexta-feira – nos períodos da manhã e da tarde -, o projeto é gratuito e voltado para a população de todas as faixas etárias que queiram conhecer o processo legislativo.

O Espro (Ensino Social Profissionalizante) é uma das instituições que participa do Programa Permanente de Visitação da Edilidade. “Conheci o projeto em 2016, divulguei com outros professores e começamos a trazer os estudantes para conhecer a Câmara. É importante entender o processo legislativo para poder acompanhar e fiscalizar o trabalho dos vereadores”, disse o professor Ailton Santos.

Durante a visita monitorada, os grupos são recepcionados e participam de uma palestra para conhecer a história e o que faz a Câmara. Após a apresentação, eles são levados para conhecer todos os auditórios e espaços do Palácio Anchieta.

Algumas mudanças podem ser feitas nas visitas monitoradas para que o passeio atenda as pessoas que querem conhecer a Câmara. De acordo com o responsável pelo Programa, Paulo Ildefonso, é necessário entender o perfil das pessoas que virão. “Desde o ano passado, por exemplo, estamos recebendo muitos estudantes de Direito. Sendo assim, fazemos uma visita com o foco maior no processo legislativo”, afirmou.

As visitas duram entre 1 e 2 horas. “Algumas pessoas interagem mais e fazem mais perguntas. O nosso objetivo é que ninguém saia daqui com dúvidas”, disse Ildefonso.

Para o responsável pelo Programa, é fundamental que as pessoas venham até a Câmara. “A visitação foi criada para aproximar as pessoas dos trabalhos dos vereadores, que são eleitos pela população. Ao conhecer o processo, os cidadãos podem acompanhar o trabalho que eles estão desenvolvendo”.

Acessibilidade

A APABB (Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência de Funcionário do Banco do Brasil e da Comunidade) é uma das instituições que participa do Programa Permanente de Visitação da Edilidade Paulistana.

De acordo com o educador da APABB Eduardo de Mello, os estudantes saíram satisfeitos no ano passado com a visita. Ao todo, foram 18 alunos, entre eles, deficientes visuais, auditivos, cadeirantes e com paralisia cerebral, vieram ao Palácio Anchieta.

“Eles [estudantes] fazem parte do nosso programa de empregabilidade e estávamos discutindo políticas públicas, por isso, consideramos importante que eles fossem conhecer a Câmara. A recepção foi muito boa. Todos mostraram domínio do funcionamento dos trabalhos legislativos e a Câmara tem toda uma estrutura de acessibilidade. Já estamos agendando mais visitas para levar outros estudantes”, disse Mello.

Para o responsável pelo programa, a Câmara tem muita satisfação em receber todos. “Recebemos escolas e grupos de diferentes perfis. É um projeto muito importante”, disse Ildefonso.

Participe

O agendamento da visita deve ser feito pelo telefone 3396-4696 junto à Equipe de Cerimonial. A Câmara ainda disponibiliza aqui uma visita virtual.

Veja também