Ouvidoria da Câmara registra 8,8 mil pedidos em 2017

DA REDAÇÃO

Em 2017 a Ouvidoria da Câmara Municipal de São Paulo recebeu uma média de 737 manifestações por mês. De acordo com o relatório anual do órgão, em março houve o maior número de pedidos (1.044), enquanto dezembro teve a menor quantidade (434). O total de protocolos feitos entre o dia 1º de janeiro e o último dia do ano foi de 8.854.

Ainda segundo o balanço, o departamento atendeu principalmente questões ligadas ao funcionamento do Legislativo paulistano. Foram 3.435 solicitações, que resultaram em encaminhamentos para as Prefeituras Regionais e Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.

Os munícipes que vivem na região central da capital lideraram os pedidos (2.679), seguidos pelos das zonas leste (1.209), sul (1.065), norte (637), e oeste (418). O demais pedidos foram feitos por pessoas que não informaram o bairro em que vivem.

Apesar das novas tecnologias, os pedidos presenciais, feitos na própria Câmara, lideram os requerimentos da Ouvidoria ao longo do ano, já que 6.288 pessoas estiveram na sala da Ouvidoria, no Palácio Anchieta, para fazer suas reivindicações – média de 17 atendimentos por dia. Os pedidos pelo aplicativo “WhatsApp” ficaram em segundo lugar.

É lei

Também foi divulgado o balanço dos pedidos feitos através da LAI (Lei de Acesso à Informação). Entre janeiro e dezembro de 2017, a Casa registrou 166 protocolos, sendo que a maioria (118), pelo Portal da Câmara. Apenas dois foram considerados sigilosos.

As atividades legislativas representam 51% dos pedidos e estão relacionadas à Legislação, Projetos de Lei, Comissões Parlamentares, Audiências Públicas e outros. Já as atividades administrativas foram relacionadas em 49% das manifestações e são de gastos, folha de pagamento, controle de pessoal e outros.

Veja também