Humberto Silva é homenageado por combater a hepatite

André Bueno/CMSP

Humberto Silva (esq.) recebe o Título de Cidadão Paulistano do vereador Paulo Frange

NAYARA COSTA
DA TV CÂMARA

Humberto Silva, fundador do projeto Hepatite Zero, que promove uma série de atedimentos gratuitos para portadores da doença no Brasil e no México, recebeu o Título de Cidadão Paulistano na noite desta sexta-feira (4/8) na Câmara Municipal de São Paulo.

Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil existem 3 milhões de pessoas contaminadas pelo vírus da hepatite. Humberto já fez parte dessa estatística e quando recebeu o diagnóstico já estava com um quadro avançado de cirrose.

Diante da gravidade da doença, ele decidiu tomar uma atitude para ajudar os portadores que, muitas vezes, não sabem que têm hepatite. Atualmente ele lidera cinco clínicas, que já atenderam 40 mil pessoas gratuitamente.

“Esse trabalho, que hoje é reconhecido, não é meu individualmente. Ele é de todos nós. Então, eu me sinto honrado, feliz, por essa homenagem ao trabalho, mas nada envaidecido pela minha pessoa”, disse Silva.

Profissionais de saúde e membros do Rotary Club destacaram a importância de trabalhos como o de Humberto no diagnóstico e tratamento de doenças graves, que muitas vezes não recebem o atendimento adequado.

Para o médico Nadir Zacarias, esse é um trabalho que precisa ser visto pela sociedade de uma forma muito importante. “Nós estamos salvando vidas”.

Alexandre de Almeira Ferreira, vice-presidente do Rotarian Action Group, lembrou que Humberto lidera um time de 120 pessoas na cidade de São Paulo. “Temos clínicas com portadores de hepatite e uma de crianças com câncer. Tudo liderado por ele, que é uma peça fundamental para o trabalho social que a gente presta na comunidade”, disse.

O governador assistente do Rotary, Carlos Renato Rosenbaum, lembra que o projeto é importantíssimo. “Foi idealizado por ele [Humberto]. E está trazendo para esse Brasil inteiro a possibilidade de tratar muita gente que não sabe que está doente”.

Familiares e amigos afirmaram que o Título de Cidadão Paulistano é o reconhecimento de uma rotina de trabalho intensa.

Andrea Molina, mulher de Humberto, lembra que ele “trabalha dia e noite e ver um reconhecimento desse tipo  é lindo”.

Para o gerente de projetos da Associação Brasileira de Portadores de Hepatite, Eduardo Lima, Humberto é destemido. “Para ele, não existe o não”, diz.

O ex-jogador de futebol Francisco Lima, que passou pela Portuguesa, Palmeiras e Newcastle, da Inglaterra, diz que a gratidão é uma palavra que resume a atuação de Humberto. “É muito difícil no mundo de hoje ver gente que ainda se preocupa com a causa alheia”.

No mundo, apenas 20% dos portadores de hepatite sabem que têm a doença. O autor da homenagem, vereador Paulo Frange (PTB), lembrou que além da dificuldade do diagnóstico, o paciente muitas vezes não consegue arcar financeiramente com o tratamento.

“São tratamentos caros. O Humberto tem feito um trabalho nesse sentido. Tudo da hepatite é caro. Do diagnóstico até o tratamento. Pessoas como ele chamam a atenção e nós não poderíamos deixar de homenageá-lo”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também