Redução no Orçamento federal para a agricultura familiar é tema de debate na Câmara

Luiz França/CMSP

Encontro sobre agricultura familiar foi realizado na Câmara

NAYARA COSTA
DA TV CÂMARA

A Câmara Municipal de São Paulo realizou nesta quinta-feira (23/11) um encontro sobre o desmonte das políticas públicas para a Agricultura Familiar e a Reforma Agrária.

No encontro foram debatidos os cortes de verbas federais que fomentam a agricultura familiar em ações como o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos), criado em 2003.

Segundo a deputada estadual Márcia Lia (PT/SP), uma das organizadoras do debate, a redução dos repasses previstos para o ano que vem chega a 98%.

“O Orçamento enviado à Câmara Federal para 2018 acabou com 98% dos valores. Então ficou um ‘valorzinho’ lá só para dizer que o programa não acabou”, disse.

O vice-presidente da CUT de São Paulo, Valdir Fernandes, destacou a importância da discussão.  “Então a ideia aqui é debater esse Orçamento que a Câmara deve receber do Governo Temer e discutir políticas importantes, inclusive em relação à Educação”.

Segundo dados do Governo Federal, a agricultura familiar produz 70% dos alimentos consumidos pelos brasileiros.

O deputado federal e ex-ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias (PT/MG), um dos palestrantes do evento, afirmou que, além do choque econômico, a redução de programas como o PAA impacta diretamente o combate à fome no País.

“É um programa esplêndido, porque trabalha nas duas pontas: ele garante ao pequeno produtor um preço justo na safra e com os produtos comprados a gente garante o apoio alimentar às pessoas, às famílias e comunidades em situação de vulnerabilidade alimentar”.

O agricultor José Justino, da região do Vale do Ribeira, diz que os pequenos produtores já estão sofrendo com os cortes orçamentários.

“A gente está sentindo muito porque quando se discutiu o crédito para fomentar a agricultura familiar, muitos acabaram pegando esse crédito. Mas com o desmonte da política pública, além do agricultor ficar sem o programa, agora ele também está endividado”, disse.

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também