Comissão pede explicações sobre farinata alimentar e Corujão da Saúde

Luiz França/CMSP

Comissão de Saúde quer detalhes sobre projetos do Executivo

ANDREA GODOY
DA TV CÂMARA

A Comissão de Saúde, Promoção Social, Trabalho e Mulher, da Câmara Municipal de São Paulo, vai agendar duas reuniões para esclarecer programas da gestão João Doria (PSDB). Os vereadores se reuniram nesta quarta-feira (18/10) e querem mais detalhes sobre o Corujão da Saúde, um dos principais programas da Prefeitura para reduzir as filas de exame, assim como do “Alimento Para Todos”, que prevê a distribuição de um suplemento alimentar, a farinata, como estratégica de combate à fome na capital paulista.

O pedido de informações veio para suprir três requerimentos de Audiências Públicas para debater os temas. Duas reuniões com representantes do Executivo conseguiram ser aprovadas. Os requerimentos eram de autoria da vereadora Juliana Cardoso (PT). Ela acredita que pedidos de informação não têm a mesma “eficiência” que as Audiências Públicas.

“A gente acaba perdendo o tempo daquele determinado assunto e neste caso é da reestruturação das AMAs (Unidades de Assistência Médica Ambulatorial) na região de Itaquera e também em relação ao Corujão. Por que eu queria fazer Audiências? Porque nós estamos discutindo o Orçamento. Então é para poder entender como isso vai acontecer e qual demanda vai deixar de ser atendida”, disse a parlamentar.

Já Rute Costa (PSD), presidente do Colegiado, afirmou que os questionamentos poderiam ter sido feitos nesta reunião. “O pessoal da Saúde estava presente e a gente até poderia ter debatido hoje, mas a proponente do requerimento não trouxe o questionamento pronto. O que ficou acertado é que outro dia eles vão voltar e nós, munidos das questões, vamos sabatiná-los.”

Quem também apresentou um requerimento foi a vereadora Sâmia Bomfim (PSOL). Ela quer convocar todas as partes envolvidas no “Alimento Para Todos”. A Audiência rejeitada foi transformada em reunião que deve acontecer no próximo dia 26.

“Primeiro, [queremos saber] a forma como vai se dar a distribuição dessa farinata. Se através daquele granulado que foi  apresentado pela Prefeitura ou como um suplemento alimentar. A verdade é que depois que o programa foi anunciado, uma série de entidades, especialistas, e o Conselho de Nutrição se posicionaram contrários porque dizem que fere o Guia Brasileiro de Alimentação.”

Veja também