Comissão busca informações sobre atendimento a alunos com deficiência auditiva

André Bueno

Esvaziamento das salas é uma das preocupações dos vereadores

DA REDAÇÃO

A Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara aprovou nesta quarta-feira (28/6) um requerimento de informações à Secretaria Municipal de Educação sobre o atendimento inclusivo de alunos com deficiência auditiva na rede municipal de ensino.

De acordo com a autora do requerimento, vereadora Aline Cardoso (PSDB), as escolas  bilíngues, EMEPS (Escolas Municipais Especiais para Surdos), estão correndo o risco de serem fechadas por conta do esvaziamento das salas. Segundo ela, os estudantes estão matriculados em escolas comuns ou escolas inclusivas.

“Antes de fazer qualquer tipo de proposta para melhorar o sistema precisamos entender como está funcionando. A quantidade de alunos com deficiência auditiva, a quantidade de escolas especiais, onde estão localizadas e se há dificuldade de acesso. O objetivo é entender o que está acontecendo e depois agir para melhorar a condições dos alunos”, afirmou a vereadora.

Conselho Tutelar

Os vereadores da Comissão também aprovaram o parecer favorável do vereador Toninho Vespoli (PSOL) ao Projeto de Lei (PL) 418/2011, que determina a fixação de placa informativa com número telefônico (125) do Conselho Tutelar nas escolas públicas do Município.

Para o relator é importante que os alunos e familiares tenham acesso aos contatos para realização de denúncias. “A grande maioria da população acaba não tendo acesso ao número. É um lugar onde não só as crianças vêem, mas os pais também acabam tendo acesso. Geralmente são os adultos que fazem mais denúncias sobre agressões ou uma situação de abandono de alguma criança”, defendeu.

A proposta segue em tramitação na Câmara até que seja discutida no Plenário. Participaram da reunião o presidente da Comissão, vereador Professor Claudio Fonseca (PPS), Celso Jatene (PR) e Arselino Tatto (PT).

Veja também