Câmara terá Audiência para discutir mudanças nas linhas de ônibus

Luiz França/CMSP

Vereadores se reuniram no Auditório Prestes Maia

KÁTIA KAZEDANI
DA REDAÇÃO

A Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente aprovou nesta quarta-feira (7/3) a realização de uma Audiência Pública no distrito Anhanguera – zona noroeste – para discutir o encerramento nas linhas de ônibus da região.

As possíveis mudanças estão previstas na nova licitação do transporte público que foi colocada em consulta pública pela Prefeitura. A proposta em discussão pretende fazer os coletivos chegarem a mais lugares e ampliar o número de assentos nos ônibus. No entanto, inclui alterações de itinerário e unificação de rotas.

Para o vereador José Police Neto (PSD) – autor do requerimento para solicitar a Audiência -, muitas informações sobre a licitação precisam ser esclarecidas. “A população vem apontando uma grande preocupação com a redução das linhas. Para isso, é importante ir ao território [Anhanguera] para prestarmos as informações e colhermos propostas”, disse.

Durante a reunião, a Comissão aprovou uma série de requerimentos do vereador Camilo Cristófaro (PSB) para convidar responsáveis pela aprovação do projeto do Shopping Pátio Paulista. Entre eles, o arquiteto da Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento, André Giannoni, e o coordenador da Pasta, José Luiz Amadio. “O shopping dobrou de tamanho e diminuiu o tamanho das vagas de estacionamento para os carros. Precisamos saber quem autorizou”.

A Comissão de Política Urbana ainda aprovou mais um requerimento para a realização de uma Audiência Pública para discutir o prolongamento da Marginal Pinheiros – trecho da avenida Guido Caloi , altura da Ponte avenida Transamérica até as imediações do Autódromo de Interlagos. “Precisamos ouvir a população para saber o que ela quer porque o zoneamento voltará a ser discutido”, afirmou Camilo Cristófaro.

O presidente da Comissão, vereador Toninho Paiva (PR), considerou importante as audiências aprovadas. “São temas polêmicos e fundamentais para a cidade que precisam ser debatidos”, disse.

Veja também