Virada Política acontece neste sábado na Câmara

DA REDAÇÃO

“A Política é importante demais para ser deixada apenas nas mãos dos políticos”. Esse é o lema da Virada Política 2017, que começou neste sábado (11/11), na Câmara Municipal de São Paulo.

Promovido com o apoio da Escola do Parlamento, o encontro está sendo realizado pela primeira vez no Legislativo paulistano, com munícipes, ativistas, políticos e entidades da sociedade civil para promover diálogo, perspectivas e ações. Um dos objetivos é apresentar a política além das instituições.

Logo na abertura, às 10h, um ‘flertaço’ com os vereadores: os 55 parlamentares foram convidados para sentar diante de 55 participantes da Virada e contar, olho no olho, como eles trabalham pelos paulistanos.

Enquanto isso, no Auditório Freitas Nobre, especialistas iniciaram uma discussão sobre as eleições de 2018 e o papel do debate religioso e moral frente ao contexto da agenda política e da gestão pública brasileira.

No mesmo horário, o painel ‘Como a Sociedade Civil tem Combatido a Corrupção’ propôs uma análise sobre o convívio diário dos brasileiros com o vulto dos escândalos na política e fora dela.

Além de palestras e rodas de conversas, a Virada vai promover uma serie de atividades de lazer e cultura durante todo o dia, como o “Espaço Criança”, com atrações para os pequenos e o “Boca no Trombone”, um megafone aberto para quem quiser soltar a voz.

Na Praça do Wi-Fi, por exemplo, haverá a exibição de pequenos vídeos sobre os desafios da população negra nas comunidades carentes.

Já na Praça em frente ao Palácio Anchieta, o público poderá acompanhar os shows de ‘Anna Pesada’, ‘Tati Pi’ e do ‘Coletivo Sistema Negro’.

Em outro cenário, os participantes poderão vivenciar uma experiência de encarceramento, com equipamento de realidade virtual, dentro de uma cela de tamanho real. A ideia é proporcionar a quem nunca entrou em um presídio a sensação de refletir sobre ele.

Neste momento, a Virada Política está sendo realizada em São Paulo, mas ocorrerá em outras quatro cidades do país: Brasília, Rio de Janeiro, Recife e São José dos Campos.

Além da edição inédita na Câmara Municipal, o evento continua na capital paulista neste domingo (12/11), no ‘Centro Cultural B_arco’.

A programação completa da Virada Política na Câmara está disponível aqui. Para mais informações, visite o site.

Confira a programação:

10h – ‘Flertaço’ com Vereadores

Pátio

Venha conhecer e conversar com seu(s) representante(s) cara a cara. A Virada Política e a Escola do Parlamento convidam os 55 vereadores de Sao Paulo para sentar diante de 55 participantes da Virada e contar olho no olho como eles trabalham pelos paulistanos.

Participantes:

Escola do Parlamento
Virada Política
Vereadores presentes

 

10h – Painel: Espiritualidade e Religião na Política

Auditório Freitas Nobre (Externo)

Os caminhos da fé e a espiritualidade frente ao contexto da agenda política e da gestão pública brasileira. As eleições de 2018 e o papel do debate religioso e moral nesta pauta.

Participantes:

Nilze Valeria, Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito
Monja Heishin Gandra, Comunidade Zen Budista Zen do Brasil – Templo Taikozan Tenzuizenji
Iya Efun Lade Jiku, Coletivo Okan Dimó
André Saldiba, IBAB Igreja Batista de Água Branca
Bianca Colepicollo, assessora parlamentar
Fernando Altemeyer, prof. de Teologia da PUC-SP

10h – Painel: Como a sociedade civil tem combatido a corrupção

Sala Sérgio Vieira de Mello – Subsolo

De Mensalão a Lava Jato, e muito antes destas investigações, o Brasil convive diariamente com o vulto dos escândalos de corrupção na política e das corrupções cotidianas que marcam há séculos a cultura política da sociedade brasileira, minando o desenvolvimento econômico e corroendo a confiança nas instituições políticas e prejudicando a qualidade da democracia do país. Por que o Brasil não consegue dar uma resposta efetiva a esse problema? O que está sendo feito para combater a corrupção? O que funciona e o que não funciona? Qual é o papel da sociedade civil no combate à corrupção e como nós, cidadãos, podemos atuar?

Participantes:

Roberto Livianu, Instituto Não Aceito a Corrupção
Renato Feder, Ranking dos Políticos
Ana Carolina Lourenço, Fundação Cidadão Inteligente
Mediador: Ricardo Borges Martins, Virada Política

 

10h – Painel: Mulheres Negras no Poder

Sala Oscar Pedro Horta – Subsolo

Mulheres negras são maioria no Brasil, porém a política não é composta por esse gênero e muito menos raça. A sociedade patriarcal e mais de três séculos de escravidão no país tornam a política institucional quase inalcançável para mulheres negras. Assim, promover e discutir esse assunto é sem sombra de dúvidas construir um futuro mais eficiente e inovador.

Participantes:

Talitha Dejesus, Projeto Pretinhosidade
Nilza Camillo, Frente Favela Brasil
Luci Adão, Movimento da mulher Negra Brasileira (MMNB)
Érika Gomes de Oliveira, Promotoras Legais Populares de Guarulhos
Vanderleia Ricardo, consultora de gestão de diversidade
Mediadora: Taua Pires

 

10h – Oficina: Produção de Vídeos com Celular

Sala Luiz Tenório Lima – Subsolo

Oficina para captação e edição de vídeo com aparelho celular, um básico de roteiro e fotografia.

Com:

Taz Assunção, Diário de um Militante

 

10h30 – Aula: Da essência às escolhas políticas – que PEC você come?

Praça do Wi-Fi

Abordaremos a política por meio dos princípios éticos da yoga, principalmente os temas “não violência” e “purificação”. O tema de intersecção será alimentação. A oficina começa com um momento de concentração individual, Depois uma atividade cooperativa para as pessoas se conhecerem e incitar o sentimento de unidade. Utilizamos a metodologia de diálogo “World Café” e finalizaremos com uma aula de Hatha Yoga.

Com:

Lara Macedo Pascom e Brenda Bela, Sadhana Coletiva

 

11h45 – Painel: Quem são e o que querem os novos movimentos eleitorais?

Auditório Freitas Nobre (Externo)

A democracia brasileira está em ebulição. Desde 2013, quando as manifestações ganharam as ruas, novos movimentos políticos vêm ganhando as manchetes e estão preparando novas lideranças para tentar ganhar também as eleições. Esses movimentos buscam formar uma nova seleção de políticos para ocupar posições de poder no país. Que movimentos são esses, que lideranças são essas, e o que elas querem?

Participantes:

Leandro Machado, Agora!
Tábata Amaral, Movimento Acredito
Pedro Henrique Cristo, Brasil 21
Caio Tendolini, Bancada Ativista
Izabella Mattar, RenovaBR
Adelaide de Oliveira, Vem pra Rua
Marcelo Rocha, Nós
Anderson John, Frente Favela Brasil
Ingrid Ferreira, Movimento Renove
Ana Carolina Lourenço, #MeRepresenta
Marina Lima, Construção
Álvaro Rossi, Frente Pela Renovação
Mediador: Ricardo Borges Martins, Virada Política

11h45 – Painel: Visionários da Quebrada e a transformação vem das bordas

Sala Sérgio Vieira de Mello – Subsolo

Há muita gente fazendo transformações potentes, inspiradoras e criativas nas periferias das grandes cidades, dando voz garantindo direitos e gerando autonomia e autoestima para tantas pessoas ignoradas pelo poder público e violentadas pelas estruturas sociais. Esses são os Visionários da Quebrada.

Participantes:

Rodrigo Costa, Coletivo Arouchianos
Fabio Lol, Samba do Bowl
Gisele Brito, Jornalista
Mariana Belmont, Coletivo Imargem
Mediadora: Ana Carolina Martins, Visionários da Quebrada

 

11h45 – Oficina: Virada Legislativa: como fazer um projeto de lei?

Sala Oscar Pedro Horta – Subsolo

Como nasce uma lei? Queremos que você saia da Virada Política sabendo como se faz um projeto de lei.

Com:

Debora Albu e Marco Konopacki, Mudamos | ITS – Rio

 

11h45 – Aula: Ativismo Não-Violento

Sala Luiz Tenório Lima – Subsolo

Apresentação para compartilhar as principais referenciais da não-violência como metodologia de ativismo sócio-político. Expor o poder transformativo do ativismo não-violento, apontar estratégias de mobilização e dialogar sobre a eficácia dos meios adotados e sobre os objetivos conquistados. Provocar a curiosidade para a elaboração de possibilidades de ações não-violentas diante de exemplos atuais de conflitos sociais.

Com:

Luis Fernando Bravo de Barros, especialista em estudos de paz e transformação de conflitos

 

11h45 Oficina: Fast Food da Política

Pátio – Área Externa

A partir de teoria de jogos, gamificação, dinâmicas e jogos sobre Gênero e Política (Molho Especial – projeto da Fast Food da Política) desafiaremos participantes a compreender e redesenhar as regras (leis, códigos sociais, regimentos, políticas e etc) que determinam nossa sociedade e Estado de forma a garantir uma estrutura social igualitária.

 

11h45 – Painel: Fake news, fact-checking e o papel da mídia na política brasileira

Praça do Wi-Fi

Decifrar a informação por trás do viés politico de uma reportagem sempre foi um desafio. Mas, recentemente, a sociedade da informação passou a enfrentar um novo desafio: avaliar a própria veracidade das informações que consumimos. Quando o que se vê na mídia deixa de ser considerado confiável, o que acontece com a democracia? Qual é o papel da imprensa na crise política que o Brasil vive hoje? E, sendo formadores de opinião em escala, como os veículos de mídia estão trabalhando para garantir a acuracidade e confiabilidade dos conteúdos que disseminam à população?

Participantes:

Márcio Moretto Ribeiro, monitor do debate político no meio digital
Cláudia Bredarioli, professora Faculdade Cásper Líbero
João Feres Júnior, Manchetômetro
Angela Pimenta, presidente do Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (PROJOR)

 

11h45 – Painel: Encontro das Escolas do Parlamento

Praça do Wi-Fi

As escolas de parlamento surgiram do reconhecimento da necessidade de se gerar mais locais de educação política, nos municípios e estados brasileiros. Muitos desses centros têm construído importantes experiências e são uma bela fonte para todas as pessoas que desejam aprender a ensinar política.

 

13h45 – Painel: Para fora dos gabinetes: Lobby e Advocacy em movimento

Auditório Freitas Nobre – Externo

Conhecido como meio de influenciar a política nos bastidores do poder, o lobby é cercado de desinformação e tabus. Mas a defesa de interesses (“advocacy”) é legítima na democracia e está está mudando: deixando de ser domínio de poucos, em reuniões a portas fechadas, e evoluindo para se conectar de forma legítima com a sociedade. Por isso, vamos trazer o lobby para fora dos gabinetes, para uma conversa aberta e transparente com especialistas da área, no auditório externo da Câmara Municipal.

Participantes:

Andrea Gozetto, FGV
Kelly Aguillar e Anselmo Takaki, iRelGov
Juliano Seabra, Endeavor
Renard Aron, Lobby Transparente
Pedro Hartung, Instituto ALANA
Ana Carolina Nunes, SampaPé
Moderador: Vitor, Advocacy Hub/Pulso Público

 

13h45 –  Painel: Como participar da política além do voto e dos partidos

Sala Sérgio Vieira de Mello – Subsolo

A despeito do que a urna eletrônica dá a entender com a mensagem “FIM” após computar seu voto, a democracia apenas começa nas eleições e a participação vai muito além da escolha de candidatos. Nesse painel, vamos conhecer diferentes iniciativas que estão inovando para facilitar a participação dos cidadãos na política: como uma plataforma de controle social do trabalho dos senadores (Projeto Plenário), uma experiência na Bahia que seleciona mini-grupos de cidadãos por amostragem para deliberar sobre decisões coletivas (Delibera Brasil), e até uma robô feminista que informa e mobiliza internautas do Brasil inteiro para pressionar políticos (Beta.feminista, no Nossas).
Participantes:

Luciana Ribas, Democracia Participativa
Silvia Cervellini, Delibera Brasil
Patricia Rosset, Cidadania Ativa
Gabriela Caesar, Projeto Plenário
Mariana Ribeiro, Beta Feminista | Nossas

 

13h45 – Painel: Como os dados influenciam políticas públicas

Sala Oscar Pedro Horta – Subsolo

Os dados tornaram-se uma das principais matérias-primas do século XXI. Um mecanismo para a máquina pública entender melhor as necessidades da sociedade e prover melhores serviços públicos, ao passo que o cidadão passa a ver sua necessidades representadas. Neste painel discutiremos como estes dados podem e de fato estão sendo usados pelos governos. Em paralelo, mas tão importante quanto, está o questionamento dos limites razoáveis de vigilância do poder público frente à esfera privada da vida do cidadão.

Participantes:

Francisco Brito Cruz – Internet Lab
Bruno Aracaty – COLAB
Sergio Amadeu – UFABC
Alexandre Pacheco – Moderador

 

13h45 – Painel: Gestão de Políticas Públicas: entendendo os desafios da política científica

Sala Luiz Tenório Lima – Subsolo

Participantes:

Pedro Henrique Bianchi, Teorias e práticas da Gestão de Políticas Públicas
Paulo Vitor Gomes Almeida, Virando a Política Científica
Clarissa Gross, professora de direito

 

13h45 – Oficina: Jogo da Política – Aprendendo Política na prática!

Praça do Wi-Fi

O Jogo da política são 3 jogos que simulam o Executivo, Legislativo e Judiciário que incentivam a educação política, a participação juventude e a compreensão do funcionamento do sistema político! Os participantes se vêem no papel de deputado, prefeito ou juiz e vivem na pele – como jogadores – a complexidade da política. A idéia nasceu com o resultado da pesquisa Sonho Brasileiro da Política feita em 2014 que mostra que a maioria dos jovens (65%) gostaria de aprender sobre o assunto na escola.

Com:

Lucas Alves

 

13h45 Painel: Política Negra: percursos e acessos ao campo da política pelos ativismos negros

Praça do Wi-Fi

Viny Rodrigues, Coletivo Sistema Negro
Marcus Vinicius Bonfim, Insituto Montsho/RAPS
Joice Berth, Assessora parlamentar e colunista do Justificando
Moderador: Marcio Black, Minha Sampa

 

13h45 – Aulão: Economia – Por que os juros no Brasil são tão altos?

Restaurante Câmara

Os juros são altos no Brasil há muito tempo e ninguém pode negar. Muitos falam que isso é responsabilidade do Estado que gasta muito e como a dívida é grande temos que que pagar muitos juros. Isso é verdade, mas esta é a única causa dos juros elevados? O que os juros elevados afetam na minha e na sua vida de maneira mais direta? Nesta aula iremos mostrar a relação entre juros e o preço de uma empregada doméstica, um food truck e a própria relação com a dívida pública.

Com:

André Perfeito, economista e mestre em Economia Política pela PUC/SP

 

13h45 – Intervenção: Todas as Mulheres do Mundo

Praça do Wi-Fi

Todas as mulheres do Mundo” é uma iniciativa criada para compartilhar e amplificar histórias vividas e contadas por mulheres. Por isso, durante a virada estaremos com uma cabine aberta para que todas as participantes tenham a oportunidade de para por alguns minutos para contar e registrar suas experiências.
Com:

Giovanna Maradei,Todas as Mulheres do Mundo

 

15h – Intervenção: Batalha de Conhecimento

Praça do Wifi

Batalha de mc’s, garantindo representatividade e paridade de gênero (trans, mulheres, negros, etc) onde cada mc tem 30 segundos para rimar improvisado sobre um tema sugerido pela platéia. Quem melhor versar sobre o assunto, ganha de acordo com votação da platéia, e segue até a final que escolherá um campeão.

Com:

Will Smith MC

 

15h Aulão: Como funciona o Orçamento Público?

Restaurante Câmara

Aprenda aqui o que todo cidadão precisa saber para poder contribuir com a decisão e acompanhar a execução de como é gasto o dinheiro dos seus impostos. O que é, como funciona, e como podemos participar e acompanhar o orçamento público? Como é o uso dos recursos nas secretarias? PPA, Lei de diretrizes orçamentárias, lei de orçamento anual, o que são e como funcionam na prática?

Com:

Dylan Rocha, especialista ambiental e servidor público

 

15h30 Painel: O que é preciso mudar no atual sistema político?

Auditório Freitas Nobre – Externo

Alguns movimentos trabalham por reformas que visam não só trocar os jogadores do jogo político, mas também as regras desse jogo. Que iniciativas são essas e o que elas estão propondo?

Participantes:

Ricardo Teperman, Quero Prévias
João Rezende, Nova Democracia
Marcelo Issa, Transparência Partidária
Fabio Tanaka, Konsento.org

 

15h30 Roda de conversa: Democracia e o Comum

Sala Sérgio Vieira de Mello – Subsolo

Do protesto à proposta: partirmos do pressuposto de que as falências e crises atuais não apontam, necessariamente, para um novo superior ou mais igualitário. mas acreditamos que a partir da lente do comum, como práxis política, seja possível revisitar o arcabouço institucional e político que nos levou até aqui, apontando caminhos a partir de um exercício de imaginação e criação coletiva e comunitária e de práticas revolucionárias. escapando do dualismo entre ou estado ou mercado, que revolução podemos criar a partir atividade coletiva e autônoma da própria sociedade, ou de grande parte dela? na roda, juliana gonçalves, carô evangelista, adriana vasconcellos e georgia nicolau funcionarão como provocadoras para que possamos construir juntxs bases para construção de presentes e futuros transformadores.

Participantes:

Georgia Nicolau, Instituto Procomum
Carolina Evangelista, #AgoraÉqueSãoElas e Bancada Ativista
Juliana Gonçalves, jornalista e ativista
Adriana Vasconcelos, professora e assessora parlamentar

 

15h30 Painel: Mandatos participativos: uma nova forma de governar

Sala Oscar Pedroso Horta – Subsolo

Você sabia que já existem experiências no Brasil de mandatos que são exercidos não por um único representante eleito, mas por um grupo de cidadãos? Mandatos colaborativos, mandatos coletivos e mandatos abertos são modalidades inovadoras de participação e gestão pública participativa e já são realidade no Brasil. Como é possível criar um mandato aberto e engajar pessoas para transformar a política? Vamos aprender com quem está fazendo isso no prática. Também discutiremos os desafios das experiências de mandatos abertos e as perspectivas dessa modalidade para as próximas eleições.

Participantes:

Fernanda Costa, App Cívico
Caio César Machado da Cunha, Somos 300

 

15h30 Pesquisa e Debate: LGBTs votam LGBT? O que pensa sobre política quem vai à Parada do Orgulho LGBT

Sala Luiz Tenório Lima – Subsolo

O Brasil abriga uma das maiores comunidades LGBT do mundo e sedia o maior evento dessa comunidade no planeta – a Parada do Orgulho LGBT. Ao mesmo tempo, é o país com maior número de homicídios motivados por homofobia de que se tem registro no mundo hoje. E na política, apenas 1 de 581 parlamentares federais brasileiros é assumidamente gay. Por que LGBTs continuam a eleger poucas pessoas para o Legislativo? Esse painel explorará os resultados de pesquisas aplicadas em Paradas do Orgulho LGBT para refletir sobre o déficit de representatividade dessa população no país.

Participantes:

Felipe Oliva, Evorah Cardoso e Gui Mohallem, Vote LGBT
Amara Moira, Midia Ninja
Rafael Cristiano, Núcleo Pele
Marjorie Yuri, historiadora

 

15h30 – Painel: Políticas de Drogas: o tabu entre a Segurança e a Saúde

Praça do Wi-fi

Políticas de drogas como instrumento de saúde pública e combate à violência. Os erros e acertos das políticas de drogas já implementadas. Será dado o olhar jurídico, médico, do usuário, racial e do ponto de vista da segurança. Para um tema que comporta múltiplas visões, buscaremos entender quel tipo de política de drogas é a mais efetiva.

Participantes:

Dartiu Xavier, médico psiquiatra, professor do Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo
Rodrigo Nikobin, advogado e pesquisador do Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina
Linaldo Fernandes, Redutor de Danos
Nathalia Oliveira, Iniciativa Negra por uma Nova Política de Drogas
Felippe Angeli, Sou da Paz
Guilherme Melles, Quebrando o Tabu

 

16h –  Intervenção e Debate: Cena Preta

Praça do Wi-Fi

Exibição de pequenos vídeos sobre a sobrevivência negra na quebrada, seguida de um debate.

Com:

Coletivo Quilombo XXIII

 

16h15 – Oficina: Ocupar a Praça

Restaurante Câmara

Com:

Marina Urias, produtora cultural

 

17h30 Shows

Praça em frente à Câmara

Com:

Anna Pesada
Tati Pi
Coletivo Sistema Negro

 

18h – Intervenção: Zine Asfalto

Praça em frente à Câmara

Lançamento-intervenção artística com distribuição gratuita da edição especial do zine Asfalto, dedicada a pensar os usos da rua e as artes de fazer cidade. O box tem três volumes, cada um aprofundando um eixo desta temática e com textos de convidados.

Com:

Coletivo APRAÇA

 

Dia todo – Instalação: Realidade Visceral: experiência de realidade virtual

Praça das Bandeiras

Uma experiência de encarceramento, com equipamento de realidade virtual, dentro de uma cela de tamanho real, para quem nunca entrou em um presídio brasileiro poder experimentar essa realidade e refletir sobre ela. Será possível entrar numa cela superlotada e experienciar aquilo pelo que passa a maioria dos mais de 600 mil presos do abarrotado sistema carcerário brasileiro. Espremido entre 25 detentos num cubículo, ouve-se o relato de quem já cumpriu pena, mas ainda está atrás das grades, e daqueles que estão presos há meses mesmo sem uma condenação – que é o caso de 40% da massa carcerária brasileira – os chamados presos provisórios. Trata-se de uma imersão em realidade virtual que integra a campanha “Encarceramento em massa não é justiça”, criada pela Rede de Justiça Criminal, um coletivo composto por oito organizações não-governamentais de São Paulo, Rio e Pernambuco.

 

Dia todo – Espaço para as Crianças

Hall do Subsolo

Trouxe as crianças para a virada? Fica tranquilo que teremos um espaço com cuidadores para ela brincar e ficar de boa enquanto você curte o evento.

 

Dia todo – Intervenção: Boca no Trombone

Em algum lugar da Câmara…

Um megafone aberto para você soltar a sua voz. Pode reclamar, elogiar, protestar. A política é livre e a palavra é sua.

 

 

 

One Comment

inicios

Que bom que encontrei seu site. Conteúdo muito bom. Abraço e sucesso

Comentários estão fechados

Veja também