Câmara sedia evento sobre transparência e dados abertos

DA REDAÇÃO

A cidade de São Paulo tem avançado na área de dados abertos e transparência em relação a outras metrópoles do mundo? Quais os setores públicos do governo municipal apresentam o melhor conjunto de dados disponíveis à sociedade? Esses e outros pontos serão discutidos nesta terça-feira (25/4), no lançamento do Open Data Index São Paulo. O levantamento dos dados, que serão apresentados no encontro, foram feitos pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) em parceria com a Open Knowledge Brasil. As duas entidades construíram o Índice de Dados Abertos (Open Data Index) de todo o país.

“Posso adiantar que São Paulo tem avançado bastante nos últimos anos em relação à transparência e abertura de dados, mas ainda há grandes desafios a serem alcançados”, afirma Ariel Kogan, diretor-executivo da Open Knowledge Brasil. Segundo ele, os setores que apresentam os piores resultados em relação à qualidade e disponibilidade dos dados são meio ambiente e propriedade da terra.

“A transparência de dados é essencial para a democracia. A população tem o direito de saber como os governos gastam o dinheiro público. Afinal, os recursos vêm dos impostos que ela paga. E não adianta apenas divulgar os dados. É necessário que eles sejam apresentados de forma didática ao cidadão para que toda a sociedade tenha acesso e consiga interpretar as informações”, afirma o vereador Police Neto, apoiador do evento.

O Open Data Index é uma iniciativa da sociedade civil. Seu objetivo é mapear a qualidade e a disponibilidade dos dados abertos em diversos países (e cidades) ao redor do mundo.

O Índice é construído com base na disponibilidade e acessibilidade dos dados em 13 categorias essenciais, incluindo gastos governamentais, resultados das eleições, compras públicas, níveis de poluição, dados de qualidade da água, posse de terras, dados do clima, entre outros.

“Os resultados práticos desse lançamento para a sociedade são a possibilidade de utilizar o mapeamento e a análise para a formulação e o monitoramento de políticas públicas de transparência, acesso à informação e dados abertos”, diz Ariel Kogan.

O Índice de Dados Abertos vem sendo utilizado por governos em todo o mundo como uma ferramenta para estabelecer suas prioridades em relação às políticas de transparência e dados abertos, e por atores da sociedade civil como um mecanismo de pressão para encorajar governos a melhorarem suas performances, liberando conjuntos de dados essenciais.

Os resultados do Open Data Index do Rio de Janeiro e de Brasília também terão eventos específicos nestas cidades para a apresentação dos respectivos levantamentos.

Serviço:
Apresentação do Open Data Index São Paulo
Dia 25/4 às 10h
Auditório Prestes Maia – Viaduto Jacareí, 100 – 1º andar

One Comment

Ivison Macedo

Somente a com a transparência total conseguiremos minimizar a epidemia da corrupção.
Belo trabalho da FGV e bom saber que nossa São Paulo esta avançando pois esta Cidade influencia todo as demais a fazerem o mesmo.

Comentários estão fechados

Veja também